terça-feira, 12 de julho de 2016

Facebook anuncia novo recurso de segurança do Messenger: Mensagens autodestrutivas

Precisa de mais segurança em suas mensagens do Facebook, mas não está disposto a mudar para um serviço orientado à segurança, como Telegram? Nós temos uma boa notícia: O Facebook está testando um tipo muito mais seguro de conversas pelo Messenger, com vários recursos interessantes.

As “conversas secretas”, atualmente só estão disponíveis como uma opção para um pequeno subconjunto de usuários. As mensagens são criptografadas de uma ponta a outra, o que significa que até mesmo o Facebook não pode lê-las.


Como uma camada adicional de segurança, uma mensagem enviada desta maneira só pode ser lida por um dos dispositivos que pertencem ao destinatário da mensagem. Você também pode definir um temporizador que faz com que a mensagem se auto-destrua depois de um determinado período de tempo.

Para conseguir tudo isso, o Facebook está usando um protocolo de código-fonte aberto, desenvolvido pela Open Whisper Systems, cujo trabalho tem sido endossado por Edward Snowden, entre outros. A empresa também forneceu uma explicação técnica detalhada de como o recurso funciona.


Os casos de uso para o recurso são muitos: em um post da última sexta-feira, o Facebook destacou as conversas com informações privadas, como o envio de informações financeiras ao seu contador.

A empresa aponta que o modo Conversas Secretas não suporta muitas das funções comuns do Messenger, tais como a realização de pagamentos ou compartilhamento de conteúdo rico, como GIFs e vídeos. Além disso, os usuários terão de selecionar a opção de criptografia deliberadamente – o novo recurso não significa que as conversas do Messenger serão criptografadas por padrão, como acontece atualmente no WhatsApp .

Com a mudança, o Facebook Messenger está um passo a frente – no que diz respeito à segurança – entre os aplicativos com mensagens criptografadas. Para aqueles que anseiam por mais segurança, em breve terão a certeza de que suas conversas estarão menos propensas a cair em mãos erradas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário